Sobre a originalidade do texto e a função do autor

Publicação original

Um artigo original é o que não foi conhecido e não existiu antes publicado em um mesmo formato e um canal de mídia de divulgação destinada a atender a um determinado público de leitores;  é inédito, é novo  aquele texto colocado pela primeira vez em um formato, um  canal de comunicação e destinado a um grupo de leitores específicos ou em geral. Nesse sentido entendemos que uma dissertação ou tese de mestrado em formato papel ou digital, publicada na web ou colocada em um repositório não retira a originalidade de artigo relacionado para publicação. Não tem o mesmo formato não passou pelos canais de divulgação convencionais.

Entendemos, entretanto, que um mesmo texto completo publicado e divulgado em papel e/ou em formato  digital para um congresso, simpósio, reunião, etc. disponibilizado e divulgado para acesso geral não é mais original para efeito de publicação,  mesmo que receba, em seu conteúdo, algumas  modificações supervenientes da sua construção inicial, sem ser contudo uma nova construção.

O que é um autor

Para Foucault o que determina uma “função-autor” não se constrói simplesmente atribuindo um texto como sendo de um indivíduo, com poder criador, mas constitui uma “característica do modo de existência, de circulação e de funcionamento de alguns discursos no interior de uma sociedade”.  Ou seja, indica que tal ou qual discurso deve ser recebido de certa maneira e que deve, em determinada cultura, receber certo estatuto de pertencimento.

O que faz de um indivíduo um autor é o fato de, através de seu nome, ser possível delimitar, reconhecer e caracterizar os textos que lhes são atribuídos. No campo da áreas exatas  o discurso do conhecimento pode ser atribuído a uma vivência de bancada de muitas colaborações, mas nas ciencias humanas e sociais o discurso revela e delimita o pertencimento do texto ao autor e ao campo do conhecimento. Se este autor já possui uma família de textos atribuídos o seu discurso fala só o seu nome.

Na academia, diversas vezes, a voz de um novo autor é deturpada ou calada pela necessidade burocrática de se associar a uma autoria  uma  experiência tutorial.   Ai calam-se duas vozes, pois não se pode mais delimitar e caracterizar o texto com uma “função de qualquer autor”, embora,  o texto possa ser ainda publicado.

Mas isto é só minha opinião e da revista que edito.

Aldo de Albuquerque Barreto

(Foucault, M. . “O que é um autor?”,  3. ed. Lisboa: Vega, 1992.)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: