Bases de dados, repositórios de informação, bibliotecas digitais e virtuais

interdisciplinarity2

 

Bases de dados, repositórios de informação, bibliotecas digitais e virtuais 

São estoques de informação que se destinam a guardar,referenciar e distribuir conteúdos mais existem diferenças entre eles.

Bancos de dados ou bases de dados são coleções de informações que se relacionam de forma a criar um sentido. São de vital importância para empresas, e há duas décadas se tornaram a principal peça dos sistemas de informação.

De maneira simplificada, podemos dizer que as Bases de Dados científicas são um local onde encontramos centenas de revistas científicas e os seus respectivos artigos, sem a necessidade de ficarmos navegando por diversos sites. É importante lembrar que todas as publicações disponíveis em bases de dados estão respaldadas por qualidade e originalidade, devido aos criteriosos processos de seleção.

Existem bases que oferecem o texto completo dos artigos e há bases de dados referenciais, ou seja, que indicam somente a existência do artigo, o seu resumo e em qual revista encontra-se este material. O Portal da Capes é uma base de dados? Sim, e surgiu com o intuito de disponibilizar em um único site várias bases de dados. No Portal da Capes você poderá pesquisar  em  diferentes bases de dados, ou seja, se cada base de dados disponibiliza 1.000.000 (um milhão) de artigos, multiplique isso pelo numero de bases disponíveis no Portal  e terás uma dimensão do universo de pesquisa.

Repositórios digitais são coleções de informação digital, que podem ser construídas de diferentes formas e com diferentes propósitos. Podem ser colaborativos e com um controle suave dos conteúdos e da autoridade dos documentos, tal como as dirigidas para o público em geral (a Wikipedia é um exemplo). Mas podem, também, ter um alto nível de controle e ser concebidos para públicos específicos. A criação destes repositórios obriga a um enorme trabalho de colaboração entre professores bibliotecários, professores, alunos e outros agentes sociais.

Os repositórios digitais emergiram no contexto da universidade e relacionaram-se com a introdução do “Open Acess”  para a literatura científica. Mas apesar desta origem, os repositórios institucionais são, em geral , usados para arquivar, disseminar e preservar outros tipos de originais e de documentos, como artigos de pesquisa e outros.

Os repositórios digitais trazem a ideia de preservação dos objetos digitais, além de promover o acesso livre a conteúdos como produtos de pesquisa, entre outros objetos digitais. Além disso, esses repositórios precisam ser criados tendo como base uma arquitetura da informação, que fornecerá subsídios para que a construção de ambientes informacionais adequados às necessidades dos usuários potenciais, permitindo acesso e usabilidade satisfatórias ao usuário.

Quanto às categorias de repositórios digitais criados atualmente, podemos citar os Repositórios Digitais Institucionais e os Repositórios Digitais Temáticos. Os Repositórios Digitais Institucionais são idealizados por instituições educacionais, comerciais ou governamentais e normalmente apresentam conteúdos produzidos por essas instituições. Como exemplo, temos os repositórios criados por instituições de ensino superior  onde são depositadas obras de caráter acadêmico como teses de doutorado e dissertações de mestrado.

 
Biblioteca digital é a biblioteca constituída por documentos , que são digitalizados quer sob a forma material em linha através da Internet, permitindo o acesso à distância. A biblioteca digital possui o documento digitalizado armazenado em suas premissas, Este conceito inclui também a ideia de organização composta por serviços e recursos cujo objetivo é selecionar, organizar e distribuir a informação, conservando a integridade dos documentos digitalizados. Uma biblioteca digital é ,também, uma  coleção de serviços e de objetos de informação, com organização, estrutura e apresentação.

 

Biblioteca virtual  traz  o conceito de virtualização das bibliotecas tradicionais. Basicamente, se refere à ideia de uma biblioteca intangível, ou seja, um serviço de informação sem infraestrutura física. A biblioteca virtual tem a vantagem de direcionar os usuários para asa fontes de dados disponíveis no meio virtual e funciona como uma rede mundial, na qual são depositados diversos documentos, livros, monografias, imagens e vídeos, entre outros.

A biblioteca virtual precisa de um suporte tecnológico para existir. Este inclui a internet, pois permite que o usuário tenha acesso a outros sistemas de informações, a troca de mensagens e recuperação de arquivos. Portanto, as bibliotecas virtuais e digitais possuem a característica de existirem num ambiente eletrônico, acessível através  de uma rede de computadores. No entanto, a diferença entre bibliotecas digitais e virtuais está na sua concepção: enquanto a biblioteca digital é uma extensão da biblioteca tradicional, a biblioteca virtual é desvinculada e autônoma.

 

observação: dados recolhidos na Internet.

8 comentários em “Bases de dados, repositórios de informação, bibliotecas digitais e virtuais

  1. Eu acredito, ainda, que a maior característica que diferencia os dois é a política de seleção dos documentos que são disponibilizados. Enquanto que na base de dados há uma pré-seleção baseada nos interesses específicos dela, todos os documentos que são sugeridos ao repositório, independente de autor, classificação, qualidade, relevância, etc, são disponibilizados.

  2. Creio que não podemos colocar como diferença entre os repositórios e as bases de dados a questão da multidisciplinaridade, pois como sabemos existem bases de dados multidisciplinares, como a Web of Science, por exemplo, e repositórios temáticos, destinados a armazenar e disseminar a produção científica de uma determinada área, como o Reposcom e o E-lis.

    Concordo que as bases de dados referenciais diferenciam-se dos repositórios por não oferecerem necessariamente o texto completo. Servem para “apontar” o caminho para alcançar o documento. Já os repositórios responsabilizam-se em oferecer o acesso ao documento.

    Penso que os conceitos de bases de dados de texto completo são muito parecidos com os de repositórios, talvez uma diferença esteja em que as bases não necessitariam ser apenas de acesso online, podendo ser distribuidas em CDs/DVDs, por exemplo. Mas talvez a principal diferença esteja nos objetivos visados na criação das bases de dados de texto completo e dos repositórios.

    Discordo da opinião da Laura com relação à política de seleção de documentos: inclusive nos repositórios é necessário disponibilizar apenas os documentos que estão dentro dos critérios que contemplam os objetivos da criação do mesmo.

  3. Prezados,

    os conceitos de bases de dados e repositórios digitais se assemelham bastante. Ambos servem a armazenar documentos. A diferença é que os repositórios digitais na maiorias das iniciativas têm sido utilizado para armazenar o documento integral. Do ponto de vista técnico de informática, ambos os mecanismos guardam o mesmo conceito e são constituídos de um conjunto de arquivos estruturados com o propósito de registrar e disseminar uma documentação. Seja ela científica ou de qualquer outro teor.

    Em algum momento, as bases de dados eram predominantemente referenciais, ou seja, não armazenavam o inteiro teor dos documentos, apenas o que chamamos hoje de metadados, na época, os campos que descreviam um determinado documento. Vejam que à medida que a tecnologia se desenvolve a terminologia também vai se desenvolvendo e, muitas vezes um determinado conceito é revisitado e aparece com uma outra denominação. O exemplo mais claro disto é metadados (metadata) e os campos, ambos os termos referem-se ao mesmo conceito, literalmente. Voltando às bases de dados, muitas delas, no século passado, eram predominantemente referenciais.

    No final dos anos 80, no século passado, contudo, algumas bases de dados full text forma implantadas.

    Um outro aspecto a ser considerado, toda e qualquer base de dados possui uma política de seleção de documentos.

    Hoje, os repositórios digitais que recebem o batismo de repositórios institucionais, temáticos, centrais ou departamentais, de acordo com os propósitos do seu proprietário. Como o próprio nome indica, os repositórios institucionais são repositórios que servem ao depósito da documentação da instituição. Este depósito é normalmente disciplinado por intermédio de uma política institucional de informação. Exemplo: Repositorium da Universidade do Minho.
    Já os repositórios temáticos são repositórios que servem ao depósito da produção científica de uma determinada área do conhecimento. Exemplo: E-lis, ArXive, etc.
    Os repositórios centrais servem ao depósito da produção científica de uma determinada agência de fomento. Exemplo: PubMed Central.
    Os repositórios departamentais se assemelham aos repositórios institucionais. A unica diferença diz respeito ao fato de os repositórios departamentais constituírem depósitos da produção científica de um departamento e não de toda a instituição.
    A rigor, eu não vejo nenhuma distinção entre os conceitos de Bases de Dados, Repositórios digitais (institucionais, temáticos, centrais ou departamentais) e Bibliotecas Digitais. Se existem diferenças conceituais, estas referem-se apenas a detalhes relacionados às suas finalidades. Todos são depósitos de documentos em meio digital.

    • Alo Kuramoto!
      Concordo totalmente com vc, e era mais ou menos onde eu queria chegar levantando esta questão.

      Vejo que em alguns casos as bases de dados já tem planejado como politica de funcionamento para os proximos 10 anos ,oferecer todos os documentos em texto completo, estando atualmente em uma fase híbrida, parte referencial e parte tc , neste ponto se asemelham a um repositorio.
      quando se compara a operacionalidade, tratamento tecnico, padronização, conteudo, percebemos claramente que há semelhanças.
      Mesmo quando se trata de direitos autorais ( que ao meu ver é o ponto mais delicado ) vamos perceber que tanto as BD e os Rptrs tem que tratar
      do mesmo assunto com muito cuidado.
      talvez um dos itens onde haja maior diferença seria na utilização do softs, porque se os repositorios utlizarem o mesmo soft, podem facilitar a interconectividade, certo? isto nas bds já é mais complicado
      eu ousaria diser que os repositorios seriam os “primos irmãos” das nossas bases de dados???
      obrigada pela resposta amigão Kura
      grande abç
      Mery

      • Olá Mery,

        é sempre uma grande satisfação interagir com e, principalmente, quando se trata de um assunto tão polêmico. Concordo com vc quanto à questão dos direitos autorais. É preciso ter muito cuidado! Quanto ao software, existe alguns que se denominam como sendo apropriado à construção, manutenção e administração de bibliotecas digitais. Outros utilizam toda uma terminologia relacionada com bases de dados. No entanto, hoje, a maioria dos pacotes de software que são utilizados para a construção e gestão de um repositório poderão também ser utilizados para a gestão de uma biblioteca digital. Existe também uma grande preocupação, por parte dos construtores de software, em desenvolver uma solução de software que possua interoperatividade com diversos protocolos ou padrões de interoperatividade. Cito um exemplo, muito interessante, o Greenstone. Trata-se de um pacote de software desenvolvido pela University of Waikato, no contexto de um projeto de bibliotecas digitais. Pois bem, este pacote de software oferece tanto o protocolo OAI-PMH quanto o Z.39 e, portanto, oferece uma alta capacidade de integração com diversos sistemas de informação.

        Agora, o ponto que pode diferenciar uma biblioteca digital de um repositório, principalmente, pelo fato de os repositórios terem surgidos a muito pouco tempo, é quanto à forma de ingestão de documentos. Os pacotes de software que gerenciam os repositórios, via de regra, oferece a possibilidade de auto-depósito. Ou seja, nos repositórios, os autores é que fazem o registro e depósito de seus documentos. Já as bibliotecas digitais e/ou bases de dados normalmente são atualizadas ou alimentadas por técnicos de informação, em sua grande maioria bibliotecárias. E, neste ponto, gostaria de apontar uma outra diferença, ou quiçá, uma aparente diferença: nos repositórios o padrão de metadados utilizado é o dublin-core. Já em uma base de dados ou biblioteca digital, os metadados utilizados são muitas vezes preconizados com base em um padrão de catalogação. As regras são mais aderentes às teorias de catalogação.

        Bem, acho que falei demais…

        Um abraço.
        Kura

  4. olá a todos..
    Encontrei esse Blog num momento que preciso saber a diferença entre Biblioteca Virtual e Bases de Dados, Alguém acima postou é a mesma coisa mas…um conjunto de bases de dados forma uma Biblioteca Virtual?

    Temos a BVS e la dentro está Scielo; Lilacs; Medline…a Scielo é um banco ou uma bibliote ou um repositário?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: